Artigo - Esqueça o aquecimento global - pense na sua casa

Esqueça o aquecimento global - pense na sua casa

Em dezembro de 2011 aconteceu a COP17, encontro anual que reúne as nações signatárias da Convenção sobre Mudanças Climáticas da ONU. O objetivo mais importante é costurar um acordo global que evite o aumento sem controle das emissões atmosféricas dos gases que provocam o efeito estufa, o tão temido aquecimento global. Se você é uma das pessoas para quem as discussões internacionais tornaram-se muitos complexas e o tópico um tanto quanto abstrato e distante, segue um conselho: esqueça o aquecimento global. Temos problemas ambientais muito sérios acontecendo ao nosso lado agora mesmo que merecem nossa atenção e exigem envolvimento e comprometimento para serem resolvidos. E, ajudando a resolvê-los, estaremos também dando nossa contribuição para que o problema do aquecimento global não seja agravado.

Para quem mora nas grandes e médias cidades brasileiras a lista dos problemas urgentes é longa. Se você mora em São Paulo, por exemplo, saiba que todo o lixo gerado em sua casa é exportado. Não existem mais aterros públicos em funcionamento na cidade, e por isso a atividade de coleta e disposição dos resíduos em aterros sanitários particulares torna-se cada vez mais cara e mais poluente. São 17 mil toneladas de lixo que "viajam" para aterros  localizados em cidades vizinhas, todos os dias. E nós pagamos por isso seja como contribuintes, seja como cidadãos que respiram um ar cada vez mais poluído. Estima-se que a baixa qualidade do ar seja responsável direta por cerca de 7.000 mortes por ano, somente na cidade de São Paulo.  E o ar poluído também se relaciona com outro problema urgente, que é a questão da mobilidade urbana. Enquanto a frota de carros continua aumentando na maioria das cidades brasileiras, cresce o caos e a dificuldade em encontrar soluções para o trânsito. As alternativas viáveis para desatar este nó passam pelo investimento em transporte público de boa qualidade dando-se prioridade àqueles com baixo nível de emissões atmosféricas e o incentivo ao uso de meios de transporte alternativos não poluentes, como as bicicletas.

Não temos como influenciar diretamente os líderes mundiais para que eles possam finalmente chegar a um acordo global que assegure a diminuição das emissões de gases de efeito estufa. Mas o que precisa ser resolvido em escala global nada mais é do que soma das soluções locais. Como cidadãos, podemos nos mover e adotar novas atitudes, seja repensando nossa forma de consumo e maneiras para reduzir e reciclar nosso lixo, seja adotando ou apoiando os meios de transporte menos poluentes.  E, mesmo sem pensar no aquecimento global, estaremos contribuindo diretamente para evitar dois dos seus maiores causadores.   

Artigo produzido por Letycia Janot e Maria Fernanda Franco, também publicado no site Greenvana Style, disponível clicando aqui

 


Categoria: Artigo

Publicado em:

 
 
© 2011 Iniciativa Água na Jarra. Todos os direitos reservados - www.aguanajarra.com.br

 Busca   |   Contate-nos   |   Cadastre-se   |
By Redbit