O Problema do Lixo

O Problema do Lixo

A disposição do lixo de maneira adequada não é tarefa fácil. O lixo disposto de maneira inadequada, os chamados lixões, causa enormes impactos sociais e ambientais. O lixo doméstico que sobra após a separação de materiais para a reciclagem deve ser encaminhado para um aterro sanitário. Um aterro sanitário deve ser construído observando-se uma série de medidas técnicas para evitar a contaminação do solo e do lençol freático. O terreno deve ser preparado e impermeabilizado antes de receber os resíduos. Existem ainda dois procedimentos básicos a serem adotados: a coleta do chorume e do gás metano, ambos subprodutos da decomposição de matéria orgânica. O chorume é a mistura de água e matéria orgânica em decomposição e contém uma série de contaminantes, devendo ser coletado e encaminhado para tratamento. Já o gás metano deve ser queimado, reduzindo-se assim o seu potencial efeito estufa. Atualmente muitos aterros já utilizam o gás coletado para a geração de energia elétrica.

 

O terreno deve ser completamente recoberto com terra ao final de sua vida útil, e deverá ser monitorado por muitos anos, em relação à contaminação e movimentações do solo. Como a disponibilidade de terrenos para a construção de aterros sanitários é cada vez menor, o lixo coletado percorre grandes distâncias até chegar ao seu destino final, tornando a atividade de coleta cara e também poluente.

Quer saber quanto lixo domiciliar foi gerado em São Paulo no ano de 2009? Foram 3,6 milhões de toneladas, um crescimento de 12% em 5 anos. Para ajudar a minimizar este grande problema, só mesmo praticando o primeiro dos três Rs, o R de Reduzir (Reduzir, Reutilizar, Reciclar).

 Aterro Caieiras

   

 A coleta do lixo em São Paulo (dados do LIMPURB - Departamento de Limpeza Urbana)

Em São Paulo são coletadas mais de 18.000 toneladas diárias de lixo (2012), das quais aproximadamente 10 mil toneladas são de lixo doméstico. A coleta seletiva realizada pelas Centrais de Triagem e Concessionárias do município de São Paulo foi de aproximadamente 38 mil toneladas no ano de 2008, sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Serviços por intermédio do Departamento de Limpeza Urbana - LIMPURB. Existem ainda cerca de 3.800 PEVs - Pontos de Entrega Voluntária localizados em escolas, condomínios, supermercados, etc.

Para se realizar a coleta do lixo percorre-se diariamente uma área de 1.523 km², beneficiando aproximadamente 11 milhões de habitantes. Cerca de 3,2 mil pessoas trabalham no recolhimento dos resíduos e são utilizados 500 veículos (caminhões compactadores e outros). Os Transbordos são pontos de destinação intermediários dos resíduos coletados na cidade, criados em função da considerável distância entre a área de coleta e o aterro sanitário. Nas Estações de Transbordo o lixo é descarregado dos caminhões compactadores e, depois, colocado em uma carreta que leva os resíduos até o aterro sanitário, seu destino final.

Os Ecopontos são Pontos de Entrega Voluntária de Materiais Inservíveis (como entulho da construção civil e objetos volumosos). É uma solução para acabar com o despejo desses materiais em vias públicas, rios e terrenos baldios, que acabam por gerar problemas de enchentes, saúde pública e oneram o orçamento municipal. Todos os resíduos da construção civil, desde cimento, entulho e tijolo, restos de azulejos e madeiras, móveis velhos, sobras de poda de árvore e outros materiais volumosos podem ser levados aos EcoPontos. Cerca de 83 mil m³ de entulho e objetos volumosos foram recolhidos nos Ecopontos em operação em 2009. Veja aqui onde estes Ecopontos estão localizados.

Mais informações podem ser obtidas na Divisão Técnica de Educação e Divulgação/ Coleta Seletiva nos telefones 3397-1758/1754.

   

 

Veja também...

 
 
© 2011 Iniciativa Água na Jarra. Todos os direitos reservados - www.aguanajarra.com.br

 Busca   |   Contate-nos   |   Cadastre-se   |
By Redbit